NOTÍCIAS

“Construímos o coração dos outros com os pedaços do nosso próprio coração”

“Construímos o coração dos outros com os pedaços do nosso próprio coração”

POSTADO EM 06.12.2017
VOLTAR PARA NOTÍCIAS INDIQUE A UM AMIGO

“Somos construídos com os pedaços de cada vida que passa pela nossa vida, que nos acrescenta e nos faz ser quem somos. Em cada encontro uma lição”.

Gostaríamos de agradecer a Deus pela oportunidade que nos deu de conviver com D. Rafael Llano Cifuentes, falecido no dia 28 de novembro deste ano, dia em que São João Paulo II com a Constituição Apostólica “Ut sit”, erigiu o Opus Dei em Prelatura pessoal, no ano de 1982, agradecer por ele ter feito parte da nossa vida e ter engrandecido a nossa história pessoal e a história de nosso Instituto com a sua presença paterna e terna, com sua amizade, com sua simplicidade e alegria contagiantes. Estas virtudes bem como a fortaleza de ânimo que tinha, tenho a certeza que estavam enraizadas em sua vida de intimidade com Deus, nos colóquios que cultivava com o Senhor presente no Santíssimo Sacramento, como tantas vezes presenciamos em nossa casa.

Lembro-me que ele sempre dizia: “Construímos o coração dos outros com os pedaços do nosso próprio coração”. Assim, sempre nos encorajando perante os desafios, mostrava com sua vida o que estava sempre presente nos seus lábios: “Vale a pena! ”. Quantas boas lembranças hoje estão guardadas no meu coração e no de cada uma das irmãs de nosso Instituto, lembranças que teremos a alegria de transmitir às jovens que estão chegando para iniciar o seu caminho. Uma delas é que sempre que vinha em nossa casa, quando estava indo embora, reunia com todas as irmãs e cantávamos uma música que compomos inspirada em suas palavras: “Vale a pena tudo suportar, tudo crer, tudo esperar, para que o carisma viva... para que ele viva eu me entregarei, para que ele viva, o coração eu gastarei...”; com quanto vigor e entusiasmo ele cantava! Como nos encorajou em nossa vocação e missão institucional!

Hoje fica a saudade, mas tudo que aprendemos com ele permanece vivo, pois perto está quem dentro está! Na última vez, antes da enfermidade nos disse: “Já me preparo para o encontro com Deus”. Nos seus dias de enfermidade, não podia falar mais, mas continuava a falar com o seu olhar profundo: “Deus é Amor”, “Vale a pena”!

Pedimos à nossa Boa Mãe, a Virgem de Guadalupe ao qual ele tinha carinho especial, que o acolha na Morada Eterna, e a nós que ficamos, que ela nos guie e prepare, como ele dizia, caminhos seguros para a eternidade.

Irmã Inês da Mãe de Deus


Biografia de Dom D.Rafael Llano Cifuentes


Seu lema: “Omminia traham ad meipsum” Nasceu na cidade do México, a 18 de fevereiro de 1933.

Licenciado em Direito Civil pela Universidade de Salamanca, em 1955. Doutorado em Direito pela Universidade de Salamanca, em 1956, com a tese “El caudillismo em Latino-américa”. Recebeu a ordenação sacerdotal, na Prelazia do Opus Dei, no dia 20 de dezembro de 1959. Nomeado Bispo Titular de Mades e Auxiliar do Rio de Janeiro a 04 de abril de 1990, ordenado Bispo em 29 de junho de 1990. Criador, na Coordenação da Pastoral da Juventude, dos denominados “Encontros Jovem-Rio” que acontecia a cada dois anos em união com o Papa nas Jornadas Mundiais da Juventude. Fundou o Curso de Liderança para Coordenadores que atuam ou que querem atuar nessa Pastoral. Nomeado Bispo da Diocese de Nova Friburgo pelo Santo Padre Papa João Paulo II em maio de 2004, tendo tomado posse no dia 20 de junho de 2004. Nomeado Bispo responsável pela Delegação Oficial do Brasil para VI Encontro Mundial do Papa com as Famílias em Maio de 2008. Eleito Membro da Academia Brasileira de Filosofia no dia 04 de setembro de 2008 para a 16ª cadeira antes ocupada por D. Estevão Tavares Bittencourt. Empossado em 18 de março de 2009. No dia 20 de janeiro de 2010 teve a sua renuncia, como Bispo Diocesano de Nova Friburgo, aceita pelo Papa Bento XVI, por limite de idade, passando a ser Bispo Emérito da mesma diocese. Em 2007 foi eleito Presidente do Regional Leste-1 da CNBB, cargo que ocupou até maio de 2011 

Texto extraído da Diocese de Nova Friburgo

VOLTAR PARA NOTÍCIAS