TOCA PARA IGREJA

Eucaristia: Sacramento da missão

Eucaristia: Sacramento da missão

POSTADO EM 23.10.2017
VOLTAR PARA POSTAGENS INDIQUE A UM AMIGO

missio

No quarto domingo de outubro, a Igreja celebra o Dia Mundial das Missões. Por isso o mês todo tem um cunho missionário. A Igreja nos lembra que todos os batizados são chamados a ser missionários. Em geral, a Crisma, por celebrar a maturidade cristã, é considerada o sacramento da missão. Um cristão maturo não pode se contentar com o benefício da graça da filiação divina, mas deve querer partilhar o dom que recebeu.

De onde vem esse ardor, o desejo de ser missionário? “O amor de Cristo nos impele”(2 Cor 5,14), diz São Paulo, o maior missionário entre os apóstolos. Sem dúvida, o amor de Cristo, presente e vivo na Eucaristia, é a fonte de todo o dinamismo missionário. É de Jesus Eucarístico que os missionários recebem sua energia espiritual e a coragem de fé para seu serviço à Igreja e à humanidade, bem como a fortaleza para levá-lo até o fim.

Eucaristia: fonte e força da missão

Assim como o Pai me enviou, eu vos envio!” (Jo 20, 21). A missão dos Apóstolos é continuar a missão de Cristo. A tarefa do missionário é: fazer a obra de Deus com a força de Deus como Jesus fez. Por isso, ao dar o mandato missionário, Jesus prometeu a seus discípulos: “Eis que estou convosco todos os dias até o fim do mundo” (Mt 28, 20). Na Eucaristia, ele se fez nosso companheiro de caminhada e nossa força para a missão. Unidos a Cristo, o qual recebemos na Eucaristia, somos capazes de anunciá-lo e fazer o que Ele fez. Pois a Eucaristia é a fonte da missão e sua força.

O Sacrifício Eucarístico: o ato missionário mais eficaz

Todas as vezes que comeis desse pão e bebeis desse cálice lembrais a morte do Senhor, até que venha” (I Cor 11, 26). Com tais palavras, São Paulo recorda aos cristãos de Corinto que a “Ceia do Senhor” não é apenas um encontro de convívio, mas também – e acima de tudo – o sacrifício redentor de Cristo e, por isso, o maior evento missionário que existe, pois contém o princípio da salvação para todos e é sua perpétua fonte. “A celebração do Sacrifício Eucarístico é o ato missionário mais eficaz que a Comunidade Eclesial pode realizar na história do mundo[1], diz São João Paulo II.

Quando pensamos bem na Santa Missa, entendemos mais profundamente nossa vocação missionária, pois o Sacrifício eucarístico é oferecido pela salvação de todos os homens. Por consequência, a participação interior e consciente na Santa Missa aumentará nosso desejo de que toda a família humana entre na luz da fé. Seremos inspirados a levar o Evangelho de Jesus Cristo a todos aqueles que ainda não O conhecem. Nada poderá demonstrar melhor nosso amor por Jesus eucarístico do que o trabalho de evangelização, especialmente entre os pobres e os mais necessitados.

A ação missionária: continuação da Santa Missa

santa missa

A Santa Missa termina com as palavras significativas “Ite, missa est!”. Infelizmente, a versão portuguesa (“Vamos em paz e o Senhor nos acompanhe!”) não é fiel ao sentido original. Qual é seu significado verdadeiro? Ite (Ide) resume o mandato missionário do Senhor (Mt 28, 19), missa est se refere ao sacrifício de Cristo que foi consumado (Jo 19,30) e, assim, “enviado” (=missa) ao Pai. Portanto, o significado das palavras finais da Missa é: Ide evangelizar na força do sacrifício consumado. De fato, a missão da Igreja brota do sacrifício de Cristo e é sua continuação. São João Paulo II comenta:

No final de cada Santa Missa, quando o celebrante se despede da assembléia com as palavras ‘Ite, missa est’, todos devem sentir-se enviados como ‘missionários da Eucaristia’, para difundir em cada ambiente o grande dom recebido. Com efeito, quem encontra Cristo na Eucaristia, não pode deixar de proclamar com a vida o amor misericordioso do Redentor. [...] Como poderia a Igreja realizar a sua vocação sem cultivar uma relação constante com a Eucaristia, sem se nutrir deste alimento que santifica, sem se fundamentar sobre esta base indispensável para sua ação missionária? Para evangelizar o mundo, são necessários ‘peritos’ na celebração, adoração e contemplação da Eucaristia”.[2]

Evangelizar a partir da Eucaristia

Sendo a Eucaristia a fonte e o vértice da missão da Igreja, a evangelização se realiza com mais eficácia se tiver como centro a celebração digna e a adoração fervorosa da Eucaristia. Trata-se de evangelizar a partir da Eucaristia. Ela deve ser o centro de toda a atividade missionária para irradiar sua força sobrenatural para todos os focos de evangelização, catequese e ações caritativas. São João Paulo II nos encoraja a ser como Maria e, unidos a ela, a nos tornar missionários na força da Eucaristia:

Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a toda criatura (Mc 16, 15). [...] Na Eucaristia perpetua-se a morte e ressurreição do Senhor. Nela se faz presente a força do Espírito Santo que nos impele a ser testemunhas de Cristo para anunciar sua mensagem salvífica a todas as nações. A Eucaristia [...] é sacramento da missão, do envio. Dela brota a missão [...] de todo o Povo de Deus.

Ide, pois, alimentados e sustentados pela Eucaristia! Ide com Maria, a Mãe de Jesus! Permanecei com Ela em oração assídua (cf. At 1, 14)! Ela é a Mãe da Igreja nascente e, depois da Ascensão do Filho, o seu papel maternal continua na Igreja para nos amparar com seu amor. Ide e que não vos faltem coragem nem paciência, que não vos faltem humanidade e constância. Que não vos falte a caridade![3].

________

Texto publicado originalmente na Revista Toca de Assis Outubro 2017 escrito pelo Pe. Fidelis Stockl (Ordem dos Cônegos Regulares da Santa Cruz)


[1] JOÃO PAULO II. Alocução na audiência geral de 21 de junho de 2000. L’Osservatore Romano, Vaticano, 24 jun. 2000.Edição portuguesa.

[2] JOÃO PAULO II. Mensagem para o dia mundial das missões de 2004 (29 de abril de 2004), 3; L’Osservatore Romano, Vaticano, 1 maio 2004.Edição portuguesa.

[3] JOÃO PAULO II. Homilia no dia 15 de maio de 1988. L’Osservatore Romano, Vaticano, 22 maio 1988.Edição portuguesa.

VOLTAR PARA POSTAGENS